Em meio a polêmicas, 900 médicos fazem prova do Revalida nesse fim de semana; entenda como funciona

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2018 11h14
Arquivo/Agência BrasilJair Bolsonaro colocou a prova como requisito para a continuação de médicos cubanos no Mais Médicos

Mais de 900 médicos participarão da segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (conhecido apenas como Revalida) nesse fim de semana em Brasília, Curitiba, São Luís, Manaus e Belo Horizonte. A prova é realizada para reconhecer diplomas de profissionais – brasileiros ou estrangeiros – que se formaram no exterior e querem trabalhar no Brasil.

Essa segunda etapa é formada por questões de habilidades clínicas. O participante percorre 10 estações para resolução de tarefas sobre investigação de história clínica, interpretação de exames complementares, formulação de hipóteses diagnósticas, demonstração de procedimentos médicos e aconselhamento a pacientes ou familiares.

Revalida em discussão

A exigência do Revalida foi um dos pontos anunciados pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) como requisito para a continuação da participação de médicos cubanos no Mais Médicos. Por conta dessa e de outras solicitações, o governo cubano decidiu deixar o programa. Ele alega que o Brasil “questiona a preparação dos cubanos” ao exigir que se submetam à revalidação do título para serem contratados.

O Mais Médicos foi criado em 2013 no então governo de Dilma Rousseff (PT). A vinda dos médicos cubanos foi acertada por meio de convênio firmado entre os governos do Brasil e de Cuba, por meio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) – que dispensava a validação do diploma dos profissionais. Desde então, algumas cláusulas do acordo tem sido questionadas por entidades médicas brasileiras.

*Com informações da Agência Brasil