Em Osasco, candidatos elegem combate a enchentes como principal prioridade

  • Por Jovem Pan
  • 25/10/2016 15h43
Rogério lins

A Jovem Pan está realizando ao longo desta semana entrevistas com os principais candidatos à Prefeitura das cidades da grande São Paulo. Nesta terça-feira (25), foi a vez da cidade de Osasco. O ponto principal abordado na entrevista com os dois candidatos foi a questão das enchentes.

Com a grande quantidade de chuvas nos últimos dias e a proximidade do verão, aumenta a preocupação com o caso na cidade. O candidato Rogério Lins (PTN) coloca a construção de piscinões no município como a principal solução para resolver este problema.

“Nós temos uma ótima relação com o governo do Estado e a gente já iniciou uma tratativa com o governador Geraldo Alckmin pra resolver esse problema construindo um piscinão na região do Rochdale e um na região central da nossa cidade. Além disso, esse bom diálogo que nós temos com o governador vai fazer com que a manutenção aconteça de maneira mais eficaz e mais célere, algo que não acontece atualmente na nossa cidade, infelizmente. E os prejuízos são visíveis em todas as fortes chuvas que acontecem na nossa cidade”, disse Lins.

O candidato à reeleição no município de Osasco, Antonio Jorge Lapas (PDT), afirmou que atitudes já estão sendo tomadas para sanar a questão. De acordo com ele, existe uma obra em andamento que tem “mais ou menos” o tamanho do Tamanduateí e, parte desta obra feita no governo anterior, diminuiu em mais da metade o problema das enchentes na região do Rochdale.

“Uma parte da obra foi feita no governo anterior, que eu fui secretário de obras. Diminuiu em 70% o problema de enchentes no Rochdale, e agora nós estamos fazendo a parte mais difícil porque tem muitas moradias na margem. (Um total de) 1200 famílias precisam sair, pra que essa canalização avance; 200 famílias já saíram, estão morando em apartamento. A canalização está avançando. (…) Agora não há uma obra que se resolve em 40 anos, em três anos. Nós conseguimos viabilizar essa obra, tem o contrato assinado, é uma obra que vai demorar uns dois anos pra ser concluída”, contou o candidato do PDT.

Saúde

A saúde pública é também um tema bastante delicado no município de Osasco. O candidato Rogério Lins considerou o atendimento na cidade bastante ineficaz e tem como objetivo a contratação de mais profissionais para a área da saúde, reduzir a fila de espera dos exames e também investir na funcionalidade do serviço.

“Ainda não é um sistema plenamente informatizado e a pessoa que faz o atendimento primário na unidade básica de saúde com um clínico geral e precisa passar em um especialista, infelizmente com esse sistema, que está completamente atrasado pra um município do tamanho de Osasco e que cuida da saúde pública com seriedade, as pessoas demoram um ano, um ano e meio pra passar, dependendo da especialidade ou do exame”, disse o candidato.

Para Lapas, o problema da saúde pública “é geral” e se tem uma falta de médicos no Brasil inteiro. Segundo o candidato, a grande falha é a falta de profissionais, e foi conquistada, inclusive, uma nova faculdade de medicina para Osasco. Lapas disse ainda que este problema não é algo que acontece somente em Osasco, mas também em outros municípios.

“O mercado está em falta (de médicos) tanto na área pública quanto na área privada. Se você vai marcar uma consulta no convênio hoje, você demora também. Então, por isso que estamos abrindo novas faculdades de medicina, nós nos habilitamos, vamos estar recebendo uma faculdade de medicina aqui em Osasco para formar mais profissionais. Não é à toa que abriram esse programa Mais Médicos e acabaram trazendo médicos de fora, porque faltam médicos no mercado”, afirmou o candidato à reeleição.

Apesar de reconhecer o problema enfrentado na área da saúde, dizendo que se tem limitações, Lapas disse que o tempo de atendimento em uma Uinidade de Pronto Atendimento (UPA) no município atualmente é menor do que se pode encontrar em um hospital particular. Além disso, o candidato do PDT disse que Osasco teve 30% de diminuição da mortalidade infantil e afirmou não ser possível resolver em três anos os problemas de uma “saúde totalmente desorganizada” que a atual gestão pegou.

Confira no áudio acima a entrevista completa dos dois candidatos à Prefeitura de Osasco, Antonio Jorge Lapas (PDT) e Rogério Lins (PTN).