Em pronunciamento com Macri, Bolsonaro fala em Mercosul enxuto e aliança contra Maduro

  • Por Jovem Pan
  • 16/01/2019 12h44 - Atualizado em 16/01/2019 13h05
MATEUS BONOMI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOMauricio Macri, presidente da Argentina, se reuniu com Jair Bolsonaro em Brasília nesta quarta-feira (16)

O presidente Jair Bolsonaro recebeu o presidente da Argentina, Maurício Macri, para um encontro em Brasília nesta quarta-feira (16). Após a conversa, Bolsonaro fez um pronunciamento com o líder argentino, no qual afirmou que os países buscam um Mercosul enxuto e estão cooperando no combate ao ditador venezuelano Nicolás Maduro.

“O Mercosul precisa valorizar sua tradição regional. O propósito é construir um Mercosul enxuto que continue a fazer sentido e ter relevância”, afirmou Bolsonaro. Macri lembrou que o novo governo do Brasil pode ajudar nas relações do bloco com a União Europeia, que andam estremecidas.

Entre os assuntos do encontro, também estiveram o combate ao crime organizado, defesa, ciência e tecnologia, energia nuclear e dinamização do comércio entre os dois países. Bolsonaro ainda celebrou as reformas econômicas pelas quais ambos os países estão passando. “As reformas econômicas que Brasil e Argentina estão levando adiante são fundamentais”, declarou. “Trabalharemos para reerguer a economia da Argentina e torná-la mais integrada ao mundo.”

Venezuela

Em seu pronunciamento, Mauricio Macri subiu o tom contra a Venezuela e afirmou que o ditador Nicolás Maduro “quer se perpetuar no poder com eleições fictícias”, citando que a Assembleia Nacional é a única instituição legítima do país e “eleita pelo povo venezuelano”.

Já Bolsonaro destacou a cooperação entre Brasil e Argentina contra Maduro. “O Brasil e a Argentina têm uma agenda muito rica, estamos comprovando nossa convergência de posições e identidade de valores. Nossa cooperação na questão da Venezuela é o exemplo mais claro”, explicou.

Antes do encontro, Bolsonaro indicou no Twitter que a Argentina é uma “nação irmã” e ressaltou que Macri foi o primeiro Chefe de Estado a visitá-lo após a posse. Antes de se tornar presidente da República, no entanto, o capitão reformado se encontrou com Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel.

Junto com Maurício Macri, vieram ao Brasil Nicolás Dujvone, ministro da Economia; Dante Sica, ministro da Produção; Jorge Faurie, ministro das Relações Exteriores; e Oscar Aguad, ministro da Defesa.