Em pronunciamento, Dilma diz ter “convicção” quanto a “improcedência” de pedido de impeachment

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2015 20h47
A presidenta Dilma Rousseff lança Programa Bem Mais Simples Brasil e o Sistema Nacional de Baixa Integrada de EmpresasDilma lança iniciativa para pequenas empresas - o Bem Mais Simples

A presidente Dilma Rousseff realizou na noite desta quarta-feira (02) um breve pronunciamento a respeito da decisão de Eduardo Cunha, presidente da Câmara, de acatar o pedido de impeachment assinado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal.

Dilma afirmou que recebeu a notícia com “indignação” e que as razões que fundamentam o pedido de impedimento são “inconsistentes”. A presidente rebateu as acusações feitas pela oposição e afirmou: “tenho convicção e absoluta tranquilidade quanto a improcedência desse pedido (…) Devemos ter tranquilidade e confiar nas nossas instituições e no Estado democrático de direito”.

A presidente Dilma Rousseff ainda alfinetou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha ao dizer que não possui contas no exterior e que não ocultou do conhecimento público tais contas. Além disso, ela afirmou que nunca tentou coagir nada.

Ela falou ainda sobre o que vem sido noticiado pela imprensa de que haveria um interesse de membros da base governista no Conselho de Ética da Câmara de realizar uma “troca”. Ou seja, em troca do arquivamento do processo de impeachment contra a presidente, os deputados petistas votariam a favor de Cunha, para que o processo contra ele não tivesse andamento.

“Eu nunca concordaria com quaisquer tipos de barganha, que bloqueiam a Justiça”, afirmou em tom crítico à imprensa.

O pedido de impeachment

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, aceitou nesta quarta-feira (2), o pedido de abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Entre os sete pedidos de afastamento que ainda aguardavam resolução, ele acolheu o requerimento dos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr. “Quanto ao pedido mais comentado por vocês proferi a decisão com o acolhimento da denúncia. Ele traz a edição de decretos editados em descumprimento com a lei”, afirmou Cunha. “Não tenho nenhuma felicidade no ato que estou praticando”, completou.

Confira abaixo o pronunciamento completo: