Em SP, 72% dos municípios não registraram mortes por Covid-19 na última semana

Ao todo, 276 cidades não têm qualquer morte pela doença há quatro semanas, algo atribuído às altas taxas de imunização da unidade federativa

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2021 13h40 - Atualizado em 06/10/2021 17h27
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoVacinação e outras medidas foram atribuídas pelo governo como motivo para a melhora nos indicadores

O governo de São Paulo informou nesta quarta-feira, 6, que, na última semana, 72% dos municípios do Estado não registraram qualquer morte por Covid-19. “Esse é um dado muito significativo, que nos traz muita alegria. Um total de 467 municípios do Estado, o que representa 7 em cada 10 cidades do Estado, não registrou nenhum óbito por Covid-19 na última semana”, afirmou o governador, que credita a queda nas mortes ao impacto positivo da vacinação na unidade federativa. Mais da metade dessas cidades (276) não registram qualquer óbito pela doença há quatro semanas. “Queremos muito mais. Para isso, precisamos continuar a vacinar”, afirmou o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn. De acordo com ele, a taxa de ocupação nas UTIs do Estado é de 31,49% e na Grande São Paulo é 39,15%, número inferior aos mais de 90% registrados em abril. “Esses dados muito similares aos que nós tínhamos no mês de maio e junho de 2020, antes do surgimento do pico da primeira onda”, afirmou. Ele também apontou que os novos casos caíram 17,6%, as internações 0,9% e os óbitos 2,8%.

“Em março nós tivemos o pico de média móvel de internações, com mais de 3 mil novas internações por dia, isso caiu 84% e hoje estamos abaixo de 550 novas internações por dia no Estado”, afirmou o coordenador do Comitê Científico de SP, Paulo Menezes. Ele lembrou que a quantidade de casos por mil habitantes também diminuiu, o que considerou um resultado da força-tarefa contra o vírus. “A repercussão da variante Delta no Estado de São Paulo é insignificante, isso porque as pessoas estão com essa taxa elevada de imunização, principalmente de segunda dose”, afirmou João Gabbardo, do Centro de Contingência do Estado. Segundo ele, a maior parte dos poucos que ainda estão internados em hospitais não completou a imunização.

Os membros da gestão de Doria também comemoraram a liderança de São Paulo no ranking de Estados mais vacinados do país. Segundo a coordenadora-geral do programa estadual de imunização, Regiane de Paula, SP tem 60% de toda a população imunizada e é seguido pelo Mato Grosso do Sul e pelo Rio Grande do Sul, que têm 58,76% e 50,78% da população totalmente imunizada. Ao considerar a população maior de 18 anos, 77,85% têm o esquema vacinal completo e 99,14% receberam pelo menos uma dose. Ela lembrou, porém, que 3,8 milhões de pessoas não retornaram para tomar a dose de reforço. O governo do Estado também anunciou um calendário de dose adicional da vacina, estipulando que aqueles que se imunizaram com a segunda dose no mês de abril receberão a terceira dose entre outubro e novembro. No meio da coletiva, a enfermeira Mônica Calazans, primeira brasileira a ser imunizada no país, e o secretário Jean Gorinchteyn, ambos profissionais da saúde do Estado, receberam a terceira dose da CoronaVac.