Em vídeo, Eduardo Bolsonaro defende sua nomeação à embaixada nos EUA

A possibilidade foi ventilada na última quinta-feira (11) pelo presidente, Jair Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2019 11h59
Divulgação/YoutubeO deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) publicou um vídeo no YouTube defendendo seu nome para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. A possibilidade foi ventilada na última quinta-feira (11) pelo presidente, Jair Bolsonaro.

Na gravação, de quase sete minutos, o parlamentar afirmou que tem “gabarito” para assumir o posto. “Essa possibilidade existe não pelo fato de eu ser um mero filho do presidente Jair Bolsonaro. Sou formado em Direito pela UFRJ, advogado concursado, passei na prova da OAB, escrivão da Polícia Federal, uma pós-graduação em Economia. Falo inglês, português e espanhol. Tenho uma vivência no mundo. Já tive oportunidade de viajar por boa parte dele. E já fiz várias idas ao Estados Unidos. Algumas a lazer, algumas também a trabalho”, afirmou.

“Se parar para reparar, se somar isso tudo, viagens internacionais que fiz com o presidente Bolsonaro, como presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, eu tenho um certo gabarito, e é isso que me dá respaldo para essa possibilidade de nomeação”, continuou Eduardo.

O deputado também pareceu rebater críticas feitas pela sua correligionária Janaína Paschoal, deputada estadual de São Paulo. Em uma série de tuítes, ela questionou se os eleitores que depositaram seu voto em Eduardo estão sendo respeitados.

“Muito se está a falar sobre eventual nepotismo, sobre capacidade, sobre ser necessário [ou não] integrar a carreira diplomática. Mas eu analiso a questão sob outro ângulo. O que pensam os quase dois milhões de eleitores do deputado?”, escreveu a deputada num dos posts sobre o assunto. “Quem fez Eduardo Bolsonaro deputado federal foi o povo. Isso precisa ser respeitado. Crescer, muitas vezes, implica dizer não ao pai.”

Eduardo negou que estaria abandonando o mandato e afirmou que, se nomeado, “honrará” os votos que recebeu trabalhando pela aproximação entre os dois países.