Escola Sem Partido não é principal problema da educação, diz deputado do Novo

  • Por Jovem Pan
  • 31/01/2019 14h25
Paulo Liebert/Estadão ConteúdoBrasil, São Paulo, SP. 14/11/2012. Aula de inglês da professora Marta Unterleitner para o segundo ano do Ensino Médio da Escola Estadual Rui Bloem, na zona sul de São Paulo. - Crédito:PAULO LIEBERT/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:147489

Em entrevista ao programa Pânico nesta quarta (31), o deputado estadual Daniel José declarou que o projeto Escola Sem Partido “não é o principal problema da educação”. Parlamentar mais votado do Novo no país, com 183 mil votos, ele teve o ensino como bandeira de campanha.

“Eu até acho que o diagnóstico do problema ideológico nas escolas é correto, mas colocar ele acima dos outros é uma insanidade”, afirmou o deputado.”A formação do professor, a taxa de aprendizagem dos alunos e evasão escolar são questões muito mais importantes. Para mim tem que passar logo esse projeto para a gente discutir o que importa de verdade”.

Fundado em 2004, o Movimento Escola Sem Partido defende uma série de medidas contra o que seus adeptos chamam de “doutrinação ideológica” nas escolas públicas. A proibição dos professores de manifestar suas opiniões políticas e de falar sobre a chamada “ideologia de gênero” está entre as prioridades do grupo.

Diversos projetos de lei seguindo as diretrizes do grupo tramitam em legislativos de todo o país. No Congresso Nacional, o principal PL alinhado ao movimento foi derrotado em dezembro de 2018. Depois de intensos debates entre oposição e governo, a comissão especial que avaliava a proposta arquivou a proposta.

Com a nova legislatura, no entanto, a tendência é que a ideia volte a ser debatida na Câmara.