Estado quer vacinar 1 milhão e investiga se mais dois macacos contraíram febre amarela em SP

  • Por Tiago Muniz/Jovem Pan
  • 23/10/2017 11h47
NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOSecretário de Estado da Saúde, David Uip fala sobre a vacinação contra febre amarela dos moradores do entorno do Horto Florestal, em São Paulo (SP), na manhã desta segunda-feira (23).

Mais dois macacos são investigados sob suspeita de terem contraído febre amarela no Horto Florestal. A informação foi confirmada pelo secretário estadual da saúde de São Paulo, David Uip, em entrevista coletiva na porta do parque estadual na manhã desta segunda-feira (23).

Tanto o Horto Florestal como o Parque da Cantareira estão fechados desde a última sexta-feira (20), quando um bugio que morreu no Horto foi diagnosticado com a doença.

O Estado investiga se outros dois macacos também contraíram o vírus ao mesmo tempo que pretende vacinar cerca de um milhão de pessoas que vivem no entorno dos parques.

O governo divulgou que habitantes de três bairros que moram num raio de até 500 metros do parque devem procurar a vacina: Casa Verde, Tremembé e Cachoeirinha.

O secretário David Uip diz que a imunização se restringe a esses três locais por causa da autonomia de voo do mosquito transmissor. “O hemagogo tem uma possibilidade de voo, no máximo, de 500 metros. E aí está a lógica de vacinar, neste primeiro momento, essas três regiões”, afirma.

David Uip fala ainda que o estado possui 1,5 milhão de doses da vacina em estoque. O secretário diz também que conversou com o ministro da saúde, Ricardo Barros, e que ele vai autorizar o envio de mais porções do medicamento se necessário.

A Secretaria da Saúde pede que moradores fora destas áreas afetadas não procurem a vacina; o governo vai informar se precisar expandir a área de cobertura. Desde sábado, o posto de saúde mais próximo do Horto Florestal tem filas que dobram a esquina com pessoas procurando uma dose da vacina.