“Estamos assistindo Lula querer inaugurar a classe social dos intocáveis”, diz Caiado

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2018 15h21
Andre Corrêa/Agência SenadoRonaldo Caiado disse ser “deprimente” a possibilidade de o petista não se entregar à Polícia Federal

No dia em que o ex-presidente Lula pode ser preso, o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado, disse ser “deprimente” a possibilidade de o petista não se entregar à Polícia Federal.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, Caiado relembrou que a ex-presidente da Coreia do Sul, por exemplo, foi presa nesta sexta-feira (06) e não afrontou à Justiça: “Mas no Brasil estamos assistindo Lula querer inaugurar a classe social dos intocáveis que estão acima da lei. É maneira afrontosa, desrespeitosa de seguidores dizerem que têm exército para proteger Lula”.

O senador criticou ainda os defensores de Lula se acharem no direito de “agir com total desobediência civil” e depois exigirem democracia, como chegou a ser cogitado caso a prisão seja realmente efetuada nesta sexta.

Confira a entrevista completa com o senador Ronaldo Caiado:

Condenado

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 12 anos e 1 mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) no caso do tríplex da Lava Jato, que teria sido dado ao ex-presidente pela empreiteira OAS como propina.

Após recursos de “habeas corpus” preventivo negados pelo Superior Tribunal de Justiça e pelo Supremo Tribunal Federal, o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato, emitiu na tarde desta quina (5) o mandado de prisão contra Lula.

O ex-presidente tem até as 17h desta sexta (6) para se apresentar à Polícia Federal em Curitiba (PR), mas segue encastelado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), enquanto sua defesa faz as últimas tentativas jurídicas para livrá-lo da cadeia.