Estudantes fazem novos protestos contra bloqueios na educação

  • Por Jovem Pan
  • 30/05/2019 18h59
NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDONa capital paulista, os manifestantes concentraram-se inicialmente no Largo da Batata

Estudantes e representantes de entidades estudantis e de sindicatos de trabalhadores foram às ruas em várias cidades do País nesta quinta-feira (30) para protestar contra o contingenciamento de verbas públicas para universidades federais. Essa foi a segunda vez neste mês em que foram organizadas manifestações em defesa da manutenção de recursos para o ensino superior.

São Paulo

Na capital paulista, os manifestantes concentraram-se inicialmente no Largo da Batata, na região oeste da capital paulista. Antes de saírem em passeata, uma aula pública foi ministrada por professores da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP) com o tema “Educação ou barbárie, o compromisso do professor”. Em seguida, a manifestação seguiu em sentido à Avenida Paulista.

Belém

Na capital paraense, a manifestação contou com a participação de petroleiros e portuários. Além de protestar contra o contingenciamento de recursos para a educação, os participantes do ato criticaram as propostas de mudanças nas regras da Previdência Social e de privatização de empresas públicas, como a Eletrobras e as companhias Docas.

São Luís

Uma exposição de projetos de pesquisa acadêmica desenvolvidos em quatro instituições de ensino federais e estaduais foi montada na Praça Deodoro, no centro, local de concentração para a caminhada. Também na capital maranhense, um grupo de estudantes universitários se concentrou em frente à Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Salvador

Centenas de pessoas participaram de uma caminhada pelas ruas da região central. Os primeiros manifestantes chegaram ao Largo Campo Grande, local de concentração, pouco antes das 9h. Uma hora depois, os estudantes e trabalhadores da educação já ocupavam parte da Avenida Sete de Setembro, por onde seguiram em caminhada com destino à Praça Castro Alves, a cerca de 2 quilômetros de distância.

Brasília

Na capital federal, estudantes e trabalhadores da área de educação deram a volta na Esplanada dos Ministérios, na região central, com faixas e cartazes pedindo a liberação dos recursos do orçamento para a área da educação e a valorização do ensino público.

A mobilização começou no meio da manhã em frente ao Museu da República. Ao meio-dia, os manifestantes usaram todas as faixas da pista para se deslocar em passeata até o Congresso Nacional e subiram a pista passando em frente ao Ministério da Educação. Por falta de autorização, o carro de som onde estudantes e professores discursavam não pôde acompanhar a marcha.

*Com Agência Brasil