Ex-assessor confessou assassinato de Gerson Camata, diz secretário do ES

  • Por Jovem Pan
  • 26/12/2018 19h58 - Atualizado em 26/12/2018 20h00
Reprodução/FacebookCamata foi o primeiro governador eleito no estado com a abertura política da ditadura militar

Assessor de Gerson Camata por duas décadas, Marcos Venício Moreira Andrade confessou ter sido o autor do disparo que matou o ex-governador do Espírito Santo, na tarde desta quarta-feira (26), em Vitória (ES). O homem, de 66 anos, está preso. A informação foi confirmada pelo secretário estadual da Segurança Pública, Nylton Rodrigues.

O crime ocorreu em frente a um restaurante da Praia do Canto. A arma utilizada no crime, sem registro, foi apreendida pela Polícia Civil. Tanto a arma quanto o local do assassinato serão periciados. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado para socorrer Camata, que tinha 77 anos, mas o emedebista morreu no local.

Segundo o secretário, o ex-governador movia uma ação judicial contra Marcos Venício. A justiça já havia determinado o bloqueio de R$ 60 mil do ex-assessor. “O autor do crime foi tirar satisfação, ao encontrar Gerson Camata na rua. Nesse encontro, iniciou-se uma discussão verbal, momento em que o Marcos Venício sacou uma arma e efetuou o disparo.”

Ainda de acordo com Rodrigues, que não detalhou o tipo de ação judicial que era movida por Camata contra Marcos, o ex-governador foi morto com um único disparo, que atingiu o pescoço. Marcos Venício foi preso minutos depois, em flagrante, por policiais que estavam de folga. Ele presta depoimento no Departamento de Homicídios de Vitória.

*Com informações da Agência Brasil