Ex-presidente da Petrobras teria reiterado a impossibilidade de mensurar perdas com corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 11/05/2015 17h13

Graça FosterGraça foster

Ex-presidente da Petrobras teria reiterado ao Conselho Administrativo a impossibilidade de mensurar as perdas com os atos de corrupção. Para Graça Foster a estimativa só poderia ser feita em alguns anos com o término da Operação Lava Jato.

Em uma das reuniões a executiva chegou a desafiar o departamento jurídico da empresa a se posicionar sobre o assunto. Parte da Cúpula da estatal pressionava por uma prestação de contas, ainda mais diante do atraso na divulgação dos balanços.

A avaliação de Graça Foster no final do ano passado não foi registrada na Ata da reunião daquele dia.

Além de valores que foram desviados, as perdas da Petrobras no ano passado incluem cancelamento de projetos e oscilações da economia.