Executivos da Schahin permanecem em silêncio na CPI da Petrobras

  • Por Agência Brasil
  • 27/05/2015 16h51
CURITIBA, PR, 11.05.2015: CPI-PETROBRAS - - CPI da Petrobras ouve Nestor Cerveró, ex-diretor da área internacional da Petrobras, na sede da Justiça Federal em Curitiba (PR), nesta segunda-feira (11). (Foto: Gisele Pimenta/Frame/Folhapress)CPI da Petrobras

Os cinco executivos do Grupo Schahin, chamados a prestar depoimentos hoje (27), na condição de testemunhas na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, na Câmara dos Deputados, apresentaram decisão judicial que os autoriza a permanecer em silêncio diante dos questionamentos dos parlamentares.

Os executivos são: Carlos Eduardo Schahin, Milton Toufic Schahin, Salin Toufic Schahin, Rubens Toufic Schahin e Pedro Schahin. As empresas do grupo, entre as quais a Schahin Petróleo e Gás e a Schahin Engenharia, estão sendo investigadas pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, por suspeita de formação de cartel e pagamento de propina.

O primeiro a ser chamado para prestar depoimento foi Carlos Eduardo Schahin, que ouviu perguntas dos deputados e respondeu com a frase “por orientação dos nossos advogados, vou ficar em silêncio”. Os advogados de Schahin pediram a dispensa do empresário pela CPI, mas o pedido foi negado pelo presidente da comissão, deputado Hugo Motta (PMDB-PB).

O Grupo Schahin firmou contratos com a Petrobras pelo arrendamento de cinco navios sonda. No início do ano, a Petrobras rescindiu os contratos e em seguida a empresa entrou na Justiça com pedido de recuperação judicial.