Fachin autoriza abertura de inquérito para investigar Michel Temer

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2017 14h12
Luiz Edson Fachin, indicado pela presidenta Dilma Rousseff para substituir o ministro Joaquim Barbosa no STF, durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (Marcelo Camargo/Agência Brasil)Luiz Edson Fachin

O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin autorizou na tarde desta quinta-feira (18) a abertura de inquérito para a investigação do presidente Michel Temer. O pedido para investigar foi feito pela Procuradoria-Geral da República.

Assim, o presidente passa, formalmente, à condição de investigado na Operação Lava Jato. O pedido de abertura de inquérito vem após a delação de um dos donos do grupo JBS, Joesley Batista, que disse à PGR ter gravado o peemedebista dando autorização para a compra do silêncio de Eduardo Cunha.

Joesley Batista informa ao presidente da República que estava pagando a Cunha e ao operador Lúcio Funaro, dentro da prisão, um valor para evitar que eles fizessem delação premiada. Na gravação, Michel Temer teria dito: “tem que manter isso, viu?”.

A gravação teria sido feita em março deste ano. Eu outra gravação no mesmo mês, Temer também indica o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver assuntos da J&F (controladora da JBS).

Mais cedo, ainda nesta quinta, Fachin homologou a delação premiada de Joesley e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS. A partir de agora, portanto, há validade jurídica para o que os empresários delataram.