Fachin começa a receber investigações criminais no STF

  • Por Agência Brasil
  • 17/06/2015 20h21
Luiz Edson Fachin, indicado pela presidenta Dilma Rousseff para substituir o ministro Joaquim Barbosa no STF, durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (Marcelo Camargo/Agência Brasil)Luiz Fachin é sabatinado no senado

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), começou a receber nesta quarta-feira (17) um acervo de 1,4 mil processos, após tomar posse no cargo. Entre as ações que passa a relatar estão inquéritos contra parlamentares e o médico Roger Abdelmassih. O novo ministro participou hoje de sua primeira sessão na Corte.

O novo ministro passou a relatar uma ação penal na qual o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) é acusado do crime de lavagem de dinheiro.

No ano passado, o STF determinou repatriação de US$ 53 milhões que estavam em contas na Suíça, Luxemburgo e na França. Fachin também vai relatar um inquérito que envolve o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB). Em 2013, Calheiros foi denunciado pelo então procurador-geral da República Roberto Gurgel por peculato e falsificação de documento público.

O caso refere-se ao suposto uso de notas fiscais frias para comprovar despesas de gabinete. Os fatos surgiram em 2007, a partir de denúncias publicadas na imprensa de que Renan teria utilizado um representante de uma empreiteira para pagar despesas pessoais.

Os processos que chegaram a Fachin são oriundos daogabinete do ministro Ricardo Lewandowski, que deixou de receber ações após tomar  posse na presidência do STF, à época.