Fachin dá 48 horas para PGR se manifestar sobre pedido de Rocha Loures

  • Por Estadão Conteúdo
  • 06/06/2017 21h05
Ministro Edson Fachin durante sessão extraordinária da 1ª turma do STF . Foto: Nelson Jr./SCO/STF (09/12/2015)Edson Fachin

O relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, determinou na noite desta terça-feira, 6, que a Procuradoria-geral da República (PGR) se manifeste sobre os pedidos da defesa do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures em até 48 horas. 

Nos próximos dois dias, a PGR analisará o pedido da defesa de Loures para que o ex-deputado não seja transferido para o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, não tenha a cabeça raspada e passe por uma audiência de custódia. O ex-deputado foi preso pela Polícia Federal no último sábado após ser filmado transportando uma mala com R$ 500 mil – dinheiro de propina, segundo delatores – em São Paulo. Loures está detido na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, com previsão de transferência nesta quarta, 7, para a Papuda.

No despacho desta terça, Fachin já atendeu uma das solicitações da defesa do ex-deputado para que os advogados tenham acesso a todas as gravações existentes no inquérito que apura se Loures cometeu os crimes de organização criminosa, obstrução de justiça e corrupção passiva.