Fachin nega quebra de sigilo telefônico de Michel Temer

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2018 17h11
EFE/ARCHIVO/Joédson AlvesMedida foi autorizada apenas contra os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, de Minas e Energia

Nesta quinta-feira (7), o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou pedido da Polícia Federal para a quebra do sigilo telefônico do presidente Michel Temer. A medida foi autorizada apenas contra os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, de Minas e Energia.

A solicitação da PF foi feita durante investigação do repasse de R$ 10 milhões da Odebrecht para o MDB em 2014 após delação de executivos da empresa. Parte do dinheiro teria sido utilizado na campanha de Paulo Skaf para o Governo de São Paulo.

A decisão de Fachin segue solicitação da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que havia se posicionado contra a medida no caso do presidente.

No outro inquérito em que é investigado, sobre o Decreto dos Portos, Temer teve o sigilo bancário e fiscal quebrado após autorização de Luís Roberto Barroso. Também nesta ação, Dodge foi contrária a medida, mas acabou não sendo seguida pelo ministro do STF.