Após fim de motim, Bolsonaro antecipa saída das Forças Armadas do Ceará

Os policiais militares que participavam do motim no Estado do Ceará começaram a retornar aos seus postos após 13 dias de paralisação

  • Por Jovem Pan
  • 04/03/2020 16h14
Foto: JARBAS OLIVEIRA/ESTADÃO CONTEÚDOTropas de militares do Exército reforçavam a segurança nas vias públicas da cidade de Fortaleza e região desde o início do motim dos PMs

O presidente Jair Bolsonaro antecipou de sexta-feira (6) para esta quarta o fim de ação das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Ceará.

A medida havia sido empregada para dar suporte à segurança no Estado, pois a Polícia Militar estava amotinada.

Os policiais militares que permaneciam em greve ilegal no Ceará encerraram o protesto na noite deste domingo, após treze dias. O fim da ação de GLO foi publicada nesta quarta, em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

O agentes aceitaram proposta apresentada por comissão especial formada pelo governador Camilo Santana (PT), Assembleia Legislativa do Estado, Ministério Público, Tribunal de Justiça e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A proposta inclui o direito dos policiais a responderem a um processo legal sem perseguição, mas não haverá anistia aos agentes envolvidos na greve ilegal.

*Com informações do Estadão Conteúdo