Fiocruz encaminha relatório ao MP e defende urgência de ‘lockdown’ no RJ

Witzel e Crivella têm até 24h para se manifestar sobre as medidas que pretendem adotar

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2020 19h10 - Atualizado em 07/05/2020 07h24
EFE/Juan Ignacio RoncoroniFiocruz declara que "a não adoção de medidas imediatas de lockdown pode levar a um período prolongado de escassez de leitos e insumos"

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) recebeu nesta quarta-feira (6) um relatório da Fiocruz defendendo a adoção urgente de medidas rígidas de isolamento social no estado. Embasado por um estudo, o posicionamento da instituição foi encaminhado ao governador Wilson Witzel e ao prefeito Marcelo Crivella, para que se manifestem no prazo de 24h sobre as medidas que pretendem adotar.

“Com o objetivo de salvar vidas e com base em análises técnico-científicas, a Fiocruz considera urgente a adoção de medidas rígidas de distanciamento social e de ações de lockdown no estado do Rio de Janeiro, em particular na região metropolitana”, afirma o ofício encaminhado ao MPRJ.

No relatório, a instituição declara que “a não adoção de medidas imediatas de lockdown pode levar a um período prolongado de escassez de leitos e insumos, com sofrimento e morte para milhares de cidadãos e famílias do estado”. Destaca, ainda, que a implantação não pode acontecer sem a respectiva adoção de medidas de apoio econômico e social às populações vulneráveis, particularmente as que dependem de trabalho informal ou precário, bem como suporte a pequenas empresas.

A Fiocruz também menciona a reestruturação e instalação de serviços de saúde emergenciais em localidades populosas e com maior vulnerabilidade social; transferências de renda; ações de segurança alimentar e nutricional; proteção ao emprego; acesso a água e saneamento; apoio e reforço à medidas de limpeza e higiene; e ações específicas de vigilância e controle da propagação da doença nas prisões.

De acordo com o MPRJ, o documento contém análises, justificativas e ponderações de especialistas sobre o tema. Ele foi acrescentado a um procedimento administrativo aberto para fazer o acompanhamento e a fiscalização de requisitos técnicos para a imposição do isolamento social, a adoção de campanhas educativas sobre prevenção do contágio de Covid-19 e a fiscalização do cumprimento das medidas de restrição social.

* Com informações do Estadão Conteúdo