Fortes chuvas em Petrópolis deixam ao menos 38 mortos

Buscas por sobreviventes e corpos prosseguem na cidade da região serrana do Rio de Janeiro; temporal deve continuar ao longo da quarta-feira

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2022 22h25 - Atualizado em 16/02/2022 09h25
BRUNO KAIUCA/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Destruição causada pela chuva na localidade de Alto da Serra, no município de Petrópolis Em uma hora choveu 113 milímetros em Petrópolis, e o nível chegou em 259 milímetros em seis horas, mais do que os 238mm esperados para todo o mês de fevereiro

As fortes chuvas que atingiram a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, deixaram ao menos 38 pessoas mortas. A informação foi confirmada pela Prefeitura do município na manhã desta quarta-feira, 16. Segundo o último boletim da Defesa Civil Nacional, ao menos 301 pessoas estão desabrigadas. Ao todo, foram registradas 229 ocorrências na cidade, sendo 189 deslizamentos de terra. Cerca de 40 residências foram completamente destruídas. Hospitais atuam como ponto de apoio para os atingidos. O município decretou estado de calamidade pública e as aulas foram suspensas. A recomendação é que os moradores evitem transitar na cidade. A previsão é que as chuvas continuem nesta quarta, 16, em cinco das sete regiões do município. O Corpo de Bombeiros prossegue as buscas por sobreviventes e corpos, com 180 militares mobilizados. A situação teria ocorrido por causa de desabamentos, em especial um no Morro da Oficina, no bairro Alto da Serra. Em uma hora choveu 113 milímetros em Petrópolis, e o nível chegou em 259 milímetros em seis horas, mais do que os 238mm esperados para todo o mês de fevereiro. Vídeos que circulam pelas redes sociais mostram deslizamentos, com carros arrastados e inundações.

Governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro já está em Petrópolis acompanhando os trabalhos do Corpo de Bombeiros de outros órgãos estaduais, em conjunto com o prefeito Rubens Bomtempo (PSB). Em vídeo compartilhado nas redes sociais do governo, ele disse que maquinários secretarias de Infraestrutura e Obras, das Cidades, do Ambiente e de Agricultura, além de equipamentos usados pela Cedae, serão direcionados ao município na manhã desta quarta, para “atender o mais rápido possível a população e diminuir os impactos da chuva”. “Todo governo está mobilizado para atender as vítimas e ajudar o município”, afirmou Cláudio Castro.

O presidente Jair Bolsonaro (PL), que está em visita oficial à Rússia, relatou ter tomado conhecimento da tragédia e se comunicado com os ministros do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e da economia, Paulo Guedes, para auxiliarem a região. Marinho disse ter entrado em contato com Castro e que a Defesa Civil Nacional ajudará os órgãos do Estado e do município. “A cidade sofre as consequências de fortes chuvas, foram 200 mm nas últimas 4 horas, provocando o transbordamento de rios. Há 52 pontos de deslizamento. Liguei para o governador Claudio Castro e ofereci todo o apoio. Estamos em contato com a prefeitura e faremos todos os esforços para socorrer as vítimas. Nossa Defesa Civil Nacional está trabalhando com as defesas civis do estado e município. Determinei a ida do Secretário Nacional de Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, ao município”, afirmou o ministro.