Funaro é autorizado pela Justiça a cumprir prisão domiciliar em fazenda no interior paulista

  • Por Jovem Pan
  • 19/12/2017 13h14
DivulgaçãoFunaro fechou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República em agosto e se comprometeu a revelar e detalhar os crimes nos quais se envolveu

O juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira, autorizou nesta terça-feira (19) o pedido de Lúcio Funaro para sair da prisão. Apontado como operador de propinas de políticos do PMDB, e um dos delatores da Operação Lava Jato, Funaro passará a cumprir prisão domiciliar em uma fazenda particular em Vargem Grande do Sul, em São Paulo. Ele está preso desde junho do ano passado no Complexo Penitenciário da Papuda.

Funaro fechou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República em agosto e se comprometeu a revelar e detalhar os crimes nos quais se envolveu.

O normal é que detentos do regime domiciliar utilizem tornozeleira eletrônica para fins de monitoramento, mas Distrito Federal e São Paulo não possuem o equipamento. Desta forma, o juiz propôs que o delator cumprisse o novo regime em Brasília por conta da fiscalização, mas a defesa sugeriu a instalação de câmeras na fazenda, e Vallisney de Souza Oliveira concordou.

A fazenda em Vargem Grande do Sul será monitorada por câmeras que Funaro deverá instalar. Tanto Ministério Público Federal quanto a 10ª Vara de Justiça terão acesso às imagens durante 24h por dia.

As câmeras deverão ser instaladas em todas as entradas da fazenda, nas quatro entradas da casa e em um ponto fixo da casa. Isso tudo até o dia 02 de janeiro. Enquanto isso, Funaro permanecerá em sua casa na capital paulista, onde já existem câmeras de segurança.

Funaro ainda se comprometeu a entregar uma lista de todos que entrarem na residência semanalmente.