Autora de texto contra jornalista tem cargo em gabinete de deputado do PSL em Minas Gerais

  • Por Jovem Pan
  • 11/03/2019 14h28
Reprodução/FacebookEngler teve apoio de Bolsonaro, a quem também apoiou nas eleições

Responsável pela publicação de texto com declarações distorcidas de uma repórter do jornal O Estado de S. Paulo no site Terça Livre, Fernanda Salles é funcionária no gabinete do deputado Bruno Engler (PSL), em Minas Gerais. A informação foi confirmada pelo comentarista Carlos Andreazza, da Jovem Pan.

Na função, ela recebe um salário de R$ 6.543,79.

No domingo (11), Fernanda publicou texto afirmando que a jornalista Constança Rezende havia declarado que “a intenção é arruinar Flávio Bolsonaro e o governo”, ao tratar do noticiamento de movimentações suspeitas de Fabrício Queiroz, ex-assessor do hoje senador.

O presidente Jair Bolsonaro compartilhou – no Twitter – um vídeo com a informação. O conteúdo indicava que ela (e por extensão a imprensa) queria arruinar a vida de seu filho Flávio e buscar o impechament.

“Ela é filha de Chico Otavio, profissional do [jornal] ‘O Globo’. Querem derrubar o governo, com chantagens, desinformações e vazamentos”, escreveu Bolsonaro na rede social. O próprio Estadão desmentiu as informações publicadas pelo presidente.

Bruno Engler

Correligionário de Jair Bolsonaro, Bruno Engler foi eleito pela primeira vez em outubro passado, com 120.252 votos. Ele participa do Movimento Direita Minas e teve apoio do presidente, com quem chegou a se reunir durante a campanha eleitoral.