Fux determina prisão de Cesare Battisti; decisão facilita extradição

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2018 21h42 - Atualizado em 13/12/2018 21h47
EFECondenado por homicídios, italiano chegou ao Brasil em 2004

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux determinou a prisão de Cesare Battisti, nesta quinta-feira (13). A medida facilita o processo de extradição para a Itália, onde ele foi condenado a prisão perpétua, desejo já declarado publicamente pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. Battisti diz que é inocente em acusações de assassinato.

Battisti foi condenado na Itália por quatro homicídios, cometidos quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo. Ele chegou ao Brasil em 2004 e foi preso três anos depois. A extradição foi aceita pelo STF após pedido do governo italiano, mas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, determinou a permanência dele no País.

Os crimes cometidos por Cesare Battisti – hoje com 63 e residente em São Paulo – teriam sido cometidos na década de 1970. Antes de chegar em terras brasileiras, ele passou 30 anos como fugitivo no México e na França. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, havia solicitado a nova prisão para evitar uma possível fuga.

“Revela-se não apenas necessário, mas premente e indispensável a custódia cautelar, seja para evitar o risco de fuga, seja para assegurar eventual e futura entrega do extraditando à Itália, adimplindo, desse modo, com os compromissos de cooperação internacional assumidos pelo Brasil”, argumentou Dodge.

Defesa

Procurado pela Jovem Pan, o advogado do italiano, Igor Tamasauskas, disse que ainda não teve acesso à decisão de Luiz Fux, mas já adiantou que vai contestá-la.

*Com informações da Agência Brasil