Fux nega pedido do Governo para suspender sessão no TCU que vai analisar contas

  • Por Agência Estado
  • 07/10/2015 15h55
BRASÍLIA, DF - 11.12.2013: JULGAMENTO/STF/DF - O ministro Luiz Fux, relator da ação. Sessão plenária do STF (Supremo Tribunal Federal), sob a presidência do ministro Joaquim Barbosa, que deve julgar a ação, proposta pela OAB (Ordem do Advogados do Brasil), que visa a proibição do financiamento de campanhas políticas por empresas. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress) Folhapress Luiz Fux

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, negou nesta quarta-feira, 7, o pedido do governo para suspender a sessão do Tribunal de Contas da União (TCU), marcada para hoje, que irá analisar as contas de 2014 do governo Dilma Rousseff e a possível suspeição do ministro Augusto Nardes para relatar o caso na Corte de Contas. Com a negativa, fica mantido para as 17h o julgamento no TCU.

“Indefiro o pedido liminar, sem prejuízo de, constatado a posteriori qualquer ultraje ao devido processo legal, zelar pelo fiel cumprimento da ordem jurídica brasileira”, decidiu Fux. O ministro mandou notificar com urgência o TCU da decisão e intimar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para apresentar manifestação.

Na noite de ontem, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, entrou com mandado de segurança para garantir que as contas não fossem analisadas até definição se o relator do caso, ministro Augusto Nardes, é suspeito para participar da discussão. Hoje, Adams voltou ao Supremo, dessa vez com pedido para que o próprio julgamento da suspeição de Nardes fosse adiado, mas os pedidos não foram atendidos por Fux.