‘Garotada é viciada em videogames violentos’, diz Mourão sobre massacre em Suzano

  • Por Jovem Pan
  • 13/03/2019 14h48
Estadão Conteúdo"No meu tempo, a gente jogava futebol e empinava pipa", disse o vice-presidente

Ao lamentar o massacre que deixou dez mortos e nove feridos na escola Raul Brasil, no centro de Suzano (SP), o vice-presidente Hamilton Mourão disse, no início da tarde desta quarta-feira, 13, que é preciso investigar o ocorrido, mas que o fato nada tem a ver com a flexibilização da posse de armas, que tramita no congresso nacional.

Ele citou outros massacres em escolas ocorridos nos últimos anos no país e atribuiu a violência à questão da educação. “Hoje a gente vê essa garotada viciada em videogames, e videogames violentos, é só isso que fazem”, afirmou Mourão, depois de dizer a jornalistas que teve a oportunidade de estudar numa escola nos EUA em que a jornada de estudos terminava às 15h. “Nos faltam escolas em tempo integral”, apontou o vice-presidente.

O vice-presidente ainda afirmou que o massacre não enfraquece o debate sobre o posse de armas.”Não tem nada a ver com a arma, vai dizer que a arma usada era legal?”, questionou.

A Polícia divulgou a identidade dos dois atiradores. Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, cometeram suicídio após o massacre.

O ataque

Dois atiradores, de 17 e 25 anos, invadiram a escola estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13), e dispararam contra alunos e funcionários. A Polícia Militar confirmou a morte de oito vítimas. Os dois atiradores se suicidaram.

Os dois atiradores foram identificados como Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos.