Geddel Vieira Lima entrega carta de demissão ao presidente Michel Temer

  • Por Jovem Pan
  • 25/11/2016 10h58
Brasília- DF- Brasil- 18/05/2016 Presidente Michel Temer recebe o ministro Geddel Vieira Lima e líderes do Senado Federal. Foto: Marcos Corrêa/ Vice Presidência da RepúblicaGeddel Vieira Lima e Michel Temer- DIV VICE

O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, entregou na manhã desta sexta-feira (25) a carta de demissão ao presidente Michel Temer.

O ministro confirmou à comentarista da Jovem Pan, Vera Magalhães, de que a saída é definitiva e não existe a possibilidade de ele retornar ao cargo. 

Fora do Governo, o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, acusou Geddel de tê-lo pressionado para a liberação de uma obra imobiliária na Bahia. Calero alegou que o agora ex-titular da Secretaria de Governo cobrou um parecer técnico para favorecer seus interesses pessoais.

Calero disse ainda que o articulador político do Governo Temer o procurou pelo menos cinco vezes – por telefone e pessoalmente; e queria influenciar decisão do Iphan, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, órgão subordinado à pasta da Cultura.

A intenção era aprovar o projeto imobiliário “La Vue Ladeira da Barra”, nos arredores de uma área tombada em Salvador, base de Geddel.

Reação de Geddel a acusação de Calero

Geddel Vieira Lima negou ter pressionado ex-ministro da Cultura em favor de projeto imobiliário em Salvador.

Ele garantiu que apenas “ponderou” com Marcelo Calero acerca de parecer do Iphan que restringia o gabarito do empreendimento.

O Iphan autorizou a obra, mas no Governo de Dilma Rousseff recuou, alegando que a torre de 24 andares encobria ao menos três bens tombados.

PGR recebe inquérito com denúncias de Calero

Polícia Federal envia à Procuradoria Geral da República depoimento do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero.

Calero depôs acerca de pressões que teria recebido do secretário de Governo, Geddel Vieira Lima, para mudar parecer do Iphan sobre obra em Salvador.

Os procuradores vão avaliar o teor do depoimento e decidirão se pedem ao STF a abertura de inquérito contra Geddel.

No depoimento, o ex-ministro da Cultura envolveu o presidente Michel Temer, que também o teria pressionado para resolver o caso.

Resposta do Planalto

Planalto reage a denúncia de que Temer tentou interferir no caso Geddel Vieira Lima e alega que presidente só tentou mediar conflito.

Porta-voz do presidente disse que Temer defendeu uma “saída técnica”, ao pedir que o caso fosse levado à Advocacia Geral da União. Acrescentou que o presidente apenas tentou arbitrar conflitos entre o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, e o secretário de Governo.

Alexandre Parola, porta-voz do Governo, revelou ainda que Temer conversou duas vezes com Calero com aquele objetivo, e que jamais induziu qualquer um dos ministros a tomar uma decisão que ferisse normas internas ou suas convicções.

Ainda segundo o porta-voz, o presidente se disse surpreso com a atitude de Calero, do qual tentou demover do pedido de demissão.