General Santos Cruz assume responsabilidade por vídeo defendendo golpe de 1964

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2019 15h20
Fátima Meira/Estadão ConteúdoO ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, assumiu a responsabilidade pela divulgação de um vídeo defendendo o golpe militar de 1964

O ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, assumiu a responsabilidade pela divulgação de um vídeo defendendo o golpe militar de 1964. O disparo aconteceu no dia 31 de março, quando o golpe completou 55 anos, por meio de um canal oficial do governo. Nesta terça-feira (16), Santos Cruz participa de uma sessão na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados para explicar o episódio.

Aos deputados, o ministro afirmou que a divulgação do vídeo foi um erro operacional e não tinha nenhuma intenção ideológica. Segundo ele, o disparo foi feito por engano por um funcionário que trabalha no governo há 26 anos. “É um funcionário com 26 anos de serviço, não tem nenhuma conotação ideológica, não foi proposital”, disse.

De acordo com Santos Cruz, o funcionário confundiu o vídeo defendendo o golpe com um outro vídeo a favor da reforma da Previdência. Apesar de ter esclarecido o “incidente operacional”, o ministro assumiu a responsabilidade pelo erro. “Da instituição onde venho o chefe assume total responsabilidade sobre o acontecido”, afirmou.

Relembre

O vídeo divulgado pelo governo federal em 31 de março afirmava que o golpe militar salvou o Brasil. “O Exército nos salvou. O Exército nos salvou. Não há como negar E tudo isso aconteceu num dia comum de hoje, um 31 de março. Não dá para mudar a história”, diz o texto lido por um ator.

Dois dias depois da divulgação, o empresário Osmar Stabile assumiu a autoria da peça. À Jovem Pan, o empresário disse que “não conhece pessoalmente” o presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ele afirmou ainda que já fez “vários vídeos”, todos com recursos próprios, e que “não tinha nem ideia da repercussão” que as imagens pró-ditadura teriam.