Gilmar Mendes arquiva inquérito envolvendo Aécio Neves no caso Furnas

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2018 20h21 - Atualizado em 29/06/2018 20h25
Wilson Dias/Agência BrasilSenador Aécio Neves (PSDB-MG) é acusado de receber recursos ilícitos da JBS

O ministro do STF, Gilmar Mendes, determinou o arquivamento do inquérito que investigava a participação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), no chamado caso Furnas. O tucano era acusado de pertencer a um grande esquema de corrupção, que desviava recursos em contratos firmados com terceirizadas.

O esquema foi revelado em delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral. Segundo o parlamentar, o esquema era comandado por Dimas Toledo, ex-diretor de Engenharia de Furnas, cujo vínculo era muito forte com Aécio Neves.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou que o caso fosse analisado pela Primeira Turma do STF, porém Gilmar Mendes decidiu arquivar o processo. Em sua decisão, Mendes argumentou que o arquivamento foi pedido pela Polícia Federal “em vista da falta de prova da existência dos delitos”.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, após a tomada de depoimentos de políticos de oposição e delatores foi possível concluir que “inexistem elementos que apontem para o envolvimento” do senador.

“A partir do conteúdo das oitivas realizadas e nas demais provas carreadas para os autos, cumpre dizer que não é possível atestar que Aécio Neves da Cunha realizou as condutas criminosas que Ihe são imputadas”, diz relatório da PF.

A investigação foi aberta em 2016 a pedido do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para apurar o suposto cometimento dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

*Com informações complementares da Agência Brasil