Gleisi Hoffmann pede para manifestantes deixarem Lula se apresentar à Polícia Federal

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2018 18h12 - Atualizado em 07/04/2018 18h16
RONALDO SILVA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOOs manifestantes não deixaram Lula sair de dentro do sindicato por volta das 17h

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, subiu em um trio elétrico por volta das 17h55 para pedir aos apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que deixem o carro que o levará ao encontro da Polícia Federal sair de dentro do Sindicato dos Metalúrgicos.

A senadora explicou que a Polícia Federal deu 30 minutos para que a direção do Partido dos Trabalhadores resolvesse os problemas em relação aos manifestantes, que resistiam em deixar que Lula se apresentasse conforme o combinado. Segundo ela, o ex-presidente sofreria as consequências e receberia um mandado de prisão preventiva do juiz Sergio Moro.

“O que vocês estão vendo aqui é um ato de resistência. Quando ele tomou a decisão (de se entregar), foi baseada numa situação. A leitura que fizemos aqui não é nossa resistência, é a dele. Ontem o Ministério Público pediu a prisão preventiva dele, porque o Lula estava no sindicato e não se apresentou. O Lula não estava num lugar incerto e desconhecido, ele estava num lugar conhecido”, afirmou.

Hoffmann contou que os militantes deveriam abrir espaço, pois caso recebesse o pedido de prisão preventiva, perderia o direito de recorrer aos recursos que poderiam garantir sua liberdade.

“O Moro disse que se não houvesse uma saída do Lula, ele ia pedir a prisão preventiva do Lula por meio dos dois outros processos que existem. Assim ele não teria direito a habeas corpus. Estamos acostumados em tomar porrada da polícia, mas pode ter consequências para ele. Não podemos ficar com o Lula preso sem dar a chance dele recorrer até em meios internacionais”, completou.