Governador de Roraima negocia abertura da fronteira com autoridades venezuelanas: ‘Situação sob controle’

  • Por Jovem Pan
  • 28/02/2019 19h21
EFE Governador de Roraima, Antonio Denarium, quer que a fronteira entre Brasil e Venezuela volte a ser aberta

O governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), se encontrou nesta quarta-feira (27) com o governador do estado venezuelano de Bolívar, Justo Noguera Pietri, para negociar a abertura da fronteira entre os estados. O fechamento da fronteira da Venezuela com o Brasil na última semana gerou uma série de conflitos entre venezuelanos e as milícias chavistas na região. “Hoje a situação já está sob controle, mas a fronteira continua fechada”, afirmou Denarium em entrevista ao Os Pingos Nos Is nesta quinta-feira (28).

Antonio Denarium afirmou que os conflitos do último final de semana aconteceram apenas em território venezuelano e não chegaram ao Brasil. “Aqui no Brasil foi um final de semana de tranquilidade, exceto nos hospitais de Boa Vista e Pacaraima”, disse. As cidades de Roraima receberam muitos feridos venezuelanos, com boa parte deles sendo transferidos para a capital do estado. No domingo (24), a Secretária de Saúde de Roraima chegou a afirmar que o maior hospital do estado, o Hospital Geral, estava à beira de um colapso.

“Todos os feridos que vieram de lá são venezuelanos, não tem brasileiros”, explicou o governador. Ele afirmou que 50% dos leitos de hospitais em Roraima estão ocupados por venezuelanos. Nesta quarta, uma vítima dos conflitos morreu em Roraima. O venezuelano estava internado após ser ferido por arma de fogo.

Economia e energia

O governador de Roraima fez questão de ressaltar que o relacionamento entre Brasil e Venezuela sempre foi muito bom, especialmente na região fronteiriça. Enquanto o estado importa energia elétrica do país vizinho, os venezuelanos costumam atravessar a fronteira para comprar alimentos. O fechamento já impactou a economia da região.

“O comércio desaqueceu com o fechamento da fronteira e milhares de pessoas podem ficar desempregadas”, disse Denarium. Também na conversa com o governador de Bolívar, ele pediu para que caminhões de carga pudessem cruzar a fronteira. “Nós entramos em contato com o governador para que liberasse as cargas, os brasileiros que queriam voltar para o Brasil e os venezuelanos queriam voltar para a Venezuela”, disse sobre o encontro.

Antonio Denarium ainda explicou que 50% da energia elétrica de Roraima é fornecida pela Venezuela, o que pode acabar se tornando um trunfo a favor do país vizinho. Para resolver a situação, o governador quer que o estado seja ligado ao sistema nacional de energia elétrica através do Linhão de Tucuruí, que levará a energia produzida pela Hidrelétrica de Tucuruí, no Rio Tocantins, a Boa Vista. “Há uma determinação federal de trazer o Linhão de Tucuruí para Roraima. Isso vai ser uma ação muito importante que vai valorizar os empreendedores”, disse.

Resolução rápida

Para o governador de Roraima, a situação da Venezuela deve ter uma resolução rápida. Ele defende, no entanto, que os problemas devem ser resolvidos internamente. “Esse conflito na Venezuela é uma situação interna da Venezuela, não sou eu em Roraima que vou resolver o problema”, afirmou.

Mesmo assim, ele vê com bons olhos o acompanhamento do mundo da situação no país vizinho. “Os países da América do Sul, Estados Unidos e União Europeia estão avaliando a política na Venezuela. Acredito que em um curto espaço de tempo seja resolvido”, projetou Denarium.