Governo agiu logo e mercados permaneceram abertos à carne brasileira, diz MDIC

  • Por Estadão Conteúdo
  • 03/04/2017 17h38
Carne - efe

A deflagração da Operação Carne Fraca pela Polícia Federal não trouxe grandes prejuízos à exportação de carnes pelo Brasil, afirmou nesta segunda-feira, 3, o diretor de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Herlon Brandão. Segundo ele, a média diária de embarques chegou a cair na quarta semana, logo após a notícia sobre as investigações, mas depois houve recuperação.

“O governo agiu logo e os mercados permaneceram abertos à carne brasileira”, disse Brandão. Segundo ele, alguns países demonstraram cautela diante da operação, mas esse movimento foi rapidamente revertido.

“Todos os países que demonstraram preocupação com a operação compraram carne do Brasil”, afirmou o diretor. 

O MDIC contabilizou venda de carne brasileira para 137 países em março. “O governo conseguiu reverter (sanções de) todos os principais mercados. A análise é que o pior passou, foi um susto logo após a operação. A média diária de exportação de carnes chegou a cair logo após a operação, mas rapidamente os embarques normalizaram”, disse.

Até a terceira semana de março, a média diária de exportação de carnes (in natura e industrializadas) estava em US$ 63 milhões. Na quarta semana, passou a US$ 50 milhões. Já na quinta semana, a média ficou em US$ 52 milhões. “Encerramos o mês com média diária de US$ 57 milhões em exportações de carnes”, destacou Brandão.

No mês passado, a Polícia Federal deflagrou uma operação para apurar suspeita de um esquema de corrupção envolvendo técnicos do Ministério da Agricultura e frigoríficos para driblar irregularidades sanitárias na produção de carne brasileira. Diversos países anunciaram barreiras ao produto nacional após a divulgação da operação, mas parte das sanções já foram revertidas.

O diretor do MDIC reconheceu que a quantidade exportada de carnes caiu, mas explicou que essa tendência já vinha sendo observada no primeiro bimestre. “Essa queda é bastante concentrada no Egito, que tem adquirido menos carne bovina”, disse. 

Em março, o valor médio diário de exportações de carne bovina caiu 6,1% em relação a igual mês de 2016 – no primeiro bimestre, a queda foi de 4,5%. Segundo Brandão, a Operação Carne Fraca não explica o movimento de recuo nos embarques do produto, seja no acumulado do primeiro trimestre, seja isoladamente no mês de março.

No mês passado, as exportações de carnes in natura e industrializadas somaram US$ 1,34 bilhão, alta de 8,9% em relação a março de 2016 (US$ 1,23 bilhão). A alta se deve principalmente ao aumento do preço das mercadorias brasileiras.