Governo do Peru autoriza retorno de turistas brasileiros

Ao menos 3770 pessoas estavam impedidas de voltar após o fechamento das fronteiras devido à quarentena no país

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2020 15h55 - Atualizado em 18/03/2020 14h41
EFE/ Ernesto Guzmán JrMedidas foram decretadas após o Peru registrar 28 novos casos de infecção em apenas um dia

O Itamaraty informou nesta terça-feira (17) que o governo peruano autorizou a saída dos brasileiros que ficaram isolados no país após o presidente Martín Vizcarra determinar quarentena obrigatória e o fechamento das fronteiras. A medida entrou em vigor na segunda-feira (16), e pegou dezenas de turistas de surpresa, que foram impedidos de retornar ao Brasil.

De acordo com o Itamaraty, a embaixada brasileira em Lima obteve autorização do executivo peruano para liberar o retorno dos brasileiros. Agora, a pasta diz que trabalha com as companhias aéreas para mobilizar os voos de volta. Números oficiais apontam que ao menos 3770 brasileiros estavam no Peru a turismo e foram atingidos pelo fechamento das fronteiras.

De acordo com o governo, eles devem se registrar por meio de formulário disponível pela internet para a embaixada poder entrar em contato. A orientação do Itamaraty é aguardar o retorno e evitar burlar a quarentena imposta pelo governo peruano, que dá poderes às Forças Armadas e à polícia para evitar aglomerações de pessoas nas ruas.

Devido às restrições, a embaixada está funcionando em regime especial de plantão para atendimento remoto. A recomendação para entrar em contato é pelo e-mail consular.lima@itamaraty.gov.br ou entrar em contato com a página da Embaixada de Brasil en el Peru no Facebook. Emergências devem ser informadas pelos números de plantão (+51 985 039 263 ou +51 985 039 253), preferencialmente por mensagens de WhatsApp.

Exército nas ruas

Relatos enviados à reportagem por ao menos 60 brasileiros em Lima, Cuzco e em Chicama, no Norte do Peru, narram que o Exército peruano restringiu acesso dos turistas ao Aeroporto Internacional Jorge Chávez, em Lima. O grupo teria ido em seguida à embaixada brasileira, no bairro turístico de Miraflores, mas não foi atendido.

No fim da noite de segunda, a chancelaria brasileira emitiu nota informando que realizava ‘gestões em alto nível junto às autoridades peruanas’. Nesta terça, o Itamaraty afirmou que estava solicitando a associação de hotéis em Cusco que assegurem a ‘necessária hospedagem aos turistas brasileiros durante a estada no Peru’.

A quarentena obrigatória e o fechamento das fronteiras no Peru foram decretadas no domingo (15) após o país registrar 28 novos casos de infecção pelo novo coronavírus em apenas um dia. A determinação é válida até o dia 30 de março. Ao todo, 71 casos confirmados da doença foram registrados no país vizinho.

A medida permite às Forças Armadas e à polícia atuar para manter a ordem pública e impedir a aglomeração de pessoas nas ruas. Apenas farmácias, bancos e mercados de alimentos permanecerão abertos.

De acordo com o governo peruano, as Forças Armadas e a polícia ajudarão a manter a ordem pública, impedindo aglomeração de pessoas. Apenas farmácias, bancos e mercados de alimentos e produtos essenciais estarão abertos. Empresas áreas afirmam que enfrentam dificuldades em entrar e sair do País desde que o decreto presidencial entrou em vigor.

* Com informações do Estadão Conteúdo