Governo sugere exame de aptidão para que professores possam dar aulas

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2018 17h51
USP ImagensMinistério da Educação quer substituir estágio por residência na formação de docentes

O Ministério da Educação apresentou nesta quinta-feira (14) uma proposta para elaboração de nova base curricular para a formação de professores do ensino básico do País. A ideia do governo é que o documento seja referência para que instituições universitárias formem suas grades de disciplinas para cursos de licenciatura.

Uma das principais propostas previstas é a possibilidade de que graduados sejam submetidos a teste que permita exercer a docência. Para isso, uma das possibilidade é utilizar como base o resultado do Exame Nacional de Desemprenho de Estudantes (Enade). Hoje, a prova avalia instituições, alunos e cursos pré-selecionado anualmente.

“Ele [Enade] pode servir como habilitação à docência, se for obrigatório para todos os licenciandos e realizados todos os anos”, sugere o documento. Os universitários poderão fazer a prova durante ou após a graduação. A proposta prevê que o exame se torne parte integrante do processo seletivo de concursos públicos.

Análise

O texto apresentado pela pasta será analisado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), assim como aconteceu com a recém-aprovada Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio, que define diretrizes para essa etapa de ensino, “reformada” pela gestão do presidente Michel Temer com o objetivo de dar autonomia a alunos.

Residência

Outra novidade proposta pelo Ministério da Educação é substituir o estágio por uma residência pedagógica. Essa é uma promessa antiga, que pretende que – assim como na Medicina – os estudantes de licenciatura aprendam no ambiente de trabalho, orientador por um docente. Essa prática já existe em instituições privadas do Brasil.

*Com informações do Estadão Conteúdo