Governo vai fiscalizar, com prioridade, 3,4 mil barragens de alto risco

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2019 15h15
Christyam de Lima/Estadão ConteúdoRejeitos de minério atingiram o Rio Paraopeba, em Brumadinho, causando a morte de peixes

O governo federal decidiu priorizar o mapeamento de 3.386 das mais de 20 mil barragens existentes no Brasil. Esses empreendimentos apresentam classificação de “dano potencial associado alto” e “risco alto” nos últimos relatórios do setor. O anúncio foi feito pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, nesta terça-feira (29).

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, se reuniu com ministros nesta manhã. O grupo decidiu priorizar as estruturas que vão ser submetidas imediatamente a resolução publicada no Diário Oficial da União. O texto determina um pente-fino nas condições de barragens e avaliação sobre a necessidade de remover as que coloquem pessoas em risco.

Ainda não há data para que esse “raio-x” das construções seja concluído. “Nosso objetivo é mais que cumprir número, é garantir que as que forem vistoriadas sejam com informações corretas.” O governo, que reconheceu as limitações estruturais de alguns órgãos fiscalizadores, se comprometeu a remanejar técnicos e recursos quando necessário.

Das 3.386 barragens a serem vistoriadas, pouco mais de 200 são utilizadas pela mineração. Destas, 70 contêm resíduos – em modelo idêntico ao construído em Brumadinho (MG) e que rompeu na última sexta-feira (25), deixando até o momento 65 mortos e 279 desparecidos. A barragem destruída pertence à Vale e as causas ainda são apuradas.

*Com informações da Agência Brasil