Gráfica que imprime o Enem decreta falência e compromete o exame

  • Por Jovem Pan
  • 01/04/2019 19h56 - Atualizado em 01/04/2019 19h57
Wilson Dias/Agência BrasilO Enem deste ano está ameaçado após a falência da gráfica que imprimiria a prova

A gráfica RR Donnelley, que iria imprimir o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, decretou falência nesta segunda-feira (1º). A informação foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Em comunicado, a empresa, que tem sede em Chicago, nos Estados Unidos, culpou as “atuais condições do mercado” pelo encerramento das atividades no Brasil. A RR Donnelley tinha unidades em Blumenau (SC) e Tamboré (SP), além da matriz em Osasco, na Grande São Paulo.

Segundo funcionários da empresa, eles já não puderam entrar nas unidades nesta segunda-feira. A multinacional afirmou que discute com o sindicato da categoria a possibilidade de rescindir os contratos dos empregados nos próximos dias para que eles tenham acesso ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e ao seguro-desemprego.

Enem

A falência da gráfica pode atrasar o cronograma do Enem. O exame só será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro, mas precisa ser impresso até maio, no máximo. A situação fica ainda mais grave com a crise no Ministério da Educação (MEC). Na semana passada, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), Marcus Vinicius Rodrigues, foi demitido pelo ministro Ricardo Veléz Rodríguez. O instituto, responsável pela prova, ainda não teve um novo presidente anunciado.

A RR Donnelley era a gráfica que imprimia o Enem desde 2009, quando a prova foi roubada da gráfica Plural, o que causou o cancelamento do exame. O MEC e o INEP ainda não se posicionaram sobre o assunto.