Grazziotin minimiza rótulo de tropa de choque: “fico até feliz”

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2016 14h56
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) disse, em entrevista exclusiva ao repórter Marcelo Mattos, que não se importa de ser taxada como membro da “tropa de choque” da presidente afastada Dilma Rousseff. Segundo ela, ficaria chateada se fosse “inserida” em um grupo que fosse conhecido por desrespeitar a Constituição.

“Eu ficaria chateada se dissesse que eu estaria participando alguma tropa de choque para promover um desrespeito à Constituição, mas nesse caso eu fico até feliz”, afirmou a senadora.

Grazziotion disse também que não tem nada definido no julgamento de Dilma Rousseff e voltou a usar a palavra “golpe” para se referir ao rito do processo de impeachment da petista. 

“Eles estão fazendo um golpe, está claro. (…) Estão tentando passar a sensação de que a fatura está vencida. Mas existe um pêndulo importante de um número de senadores que podem ir pra lá ou ir pra cá, mas não tem resultado definido”, disse a catarinense.

A senadora falou ainda que não é a favor de estender o debate dos senadores pela madrugada de quarta-feira e afirmou preferir que se encerre nesta noite, por volta das 23h, e retorne pela manhã de quarta-feira, em torno das 9h. O motivo incluiria também o presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, que fica por todo o tempo no julgamento. “Temos que pensar no presidente do Supremo”, finalizou.