Grupo criminoso estaria atrapalhando investigações do assassinato de Marielle Franco

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2018 17h30
Guilherme Cunha/AlerjMarielle Franco, vereadora do PSOL na Câmara do Rio de Janeiro, foi assassinada na noite de 14 de março de 2018

Um grupo criminoso pode estar atrapalhando as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes com o intuito de impedir que as apurações cheguem aos responsáveis pelo crime. A informação foi revelada pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, nesta quinta-feira (1).

Segundo ele, a Polícia Federal irá apurar essa linha a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, com base em depoimentos colhidos pelo órgão de duas pessoas que estariam ligadas ao caso. “As denúncias são extremamente graves, precisa ser investigado”, afirmou.

O ministro, no entanto, não quis dar informações sobre quem seriam essas pessoas e qual o grau de confiabilidade de seus testemunhos. Disse apenas que os depoimentos foram colhidos há cerca de um mês por procuradores federais. Não há prazo para a conclusão desta nova investigação.

*Com informações do Estadão Conteúdo