Guerra entre facções criminosas deixa ao menos 23 mortos em Porto Alegre

Ao todo, 32 ataques foram realizados pela capital, além de confrontos com a Polícia

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2022 01h01
MIGUEL NORONHA/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO polícia civil; porto alegre Ataques começaram em 14 de março e continuam até o início de abril

A capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, tem sofrido com a guerra entre facções criminosas. De acordo com o jornal Gaúcha ZH, 23 pessoas morreram e 31 ficaram feridos em atentados e confrontos com a polícia que acontecem desde o dia 14 de março. 16 pessoas foram presas, além de três adolescentes apreendidos. Ao todo foram 32 ataques: 21 de autoria da facção que domina o tráfico de drogas na região de Grande Cruzeiro, na zona sul da capital, cinco da organização do Vale do Sinos, dois sem autoria, quatro confrontos contra a Brigada Militar e um contra a Polícia Civil. Em entrevista ao ZH, a diretora do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Vanessa Pitrez, comentou o ocorrido. “A Polícia Civil está trabalhando de forma integrada com atuação de todos os seus departamentos operacionais, sob coordenação do DHPP, para estancamento dos homicídios que vem ocorrendo em Porto Alegre. As investigações estão bem avançadas com diversas lideranças e suspeitos das execuções já identificados”, disse. Ela ainda afirmou que as operações conjuntas irão reduzir o número de mortos.