Hacker de Moro vira ‘atração’ na Papuda; políticos presos querem saber conteúdo de supostas mensagens

  • Por Jovem Pan
  • 14/09/2019 12h20
Walter Delgatti Neto, hacker conhecido como "Vermelho"

Walter Delgatti Neto, preso na chamada “Ala das Autoridades” do Complexo Penitenciário da Papuda sob a acusação de hackear o telefone celular de autoridades (incluindo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro), tem sido procurado por políticos detidos na mesma ala para contar o que leu nas supostas conversas interceptadas.

Conhecido como Vermelho, Delgatti — que já demonstrou a policiais federais que o interrogaram ter uma “memória prodigiosa” — afirma que leu todo o material antes de “vazar” para o site The Intercept Brasil. Segundo pessoas próximas, ele gosta de dizer que tem as conversas “frescas na cabeça” e que “sabe muito mais” do que já foi divulgado.

Com essas credenciais, passou a ser o centro das atenções durante o banho de sol, o que virou o maior passatempo do hacker: as rodas de conversa para falar sobre as supostas mensagens das autoridades.

As conversas no pátio duram horas e despertam atenção e curiosidade dos presos, entre eles o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB-BA), que está na Papuda desde setembro de 2017, e se aproximou de Delgatti. Seus interlocutores naturalmente ignoram o fato de ele ser alvo de diversos processos por estelionato e se divertem com as histórias.

*Com Estadão Conteúdo