PF acusa hacker que invadiu celular de Moro de lavagem de dinheiro

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2019 08h57 - Atualizado em 02/09/2019 08h59
ReproduçãoDelgatti também é apontado como suspeito dos crimes de violação de sigilo telefônico e invasão de dispositivo informático alheio.

A Polícia Federal afirma ter encontrado evidências de que o hacker Walter Delgatti Neto, responsável por invadir o celular do ministro da Justiça, Sergio Moro, praticou lavagem de dinheiro. As informações são do Jornal O Globo.

“Já foram encontradas no material arrecadado evidências do envolvimento de Walter Delgatti Neto (…) com ações voltadas à ocultação ou dissimulação da orgiem dos recursos de origem ilícita, configurando, em tese, o delito de lavagem de dinheiro”, escreveu a PF em relatório do inquérito da Operação Spoofing, obtido pelo Globo.

Delgatti também é apontado como suspeito dos crimes de violação de sigilo telefônico e invasão de dispositivo informático alheio.

Ainda de acordo com o jornal, os investigadores não obtiveram provas de que o hacker teria sido pago para invadir os celulares das autoridades. Porém, Delgatti ainda não explicou uma negociação da moeda virtual bitcoins no equivalente a R$ 1,5 milhão.