Hackers de Moro fizeram mil vítimas — uma delas, possivelmente Paulo Guedes

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2019 17h38 - Atualizado em 24/07/2019 17h53
Jose Lucena/Futura Press/Estadão ConteúdoA Operação Spoofing, deflagrada pela Polícia Federal, identificou os responsáveis pelo hackeamento de celulares de autoridades

A Polícia Federal confirmou na tarde desta quarta-feira (24) que as quatro pessoas presas pela Operação Spoofing atuaram no roubo de informações trocadas em aplicativos dos celulares do ministro da Justiça, Sergio Moro, de integrantes da força-tarefa da Polícia Federal e de um juiz federal.

Além disso, o delegado João Vianey Xavier Filho e o perito federal Luiz Spricigo Junior informaram que há fortes indícios que a mesma quadrilha tenha tentado acessar o celular do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Leia também sobre o caso:
Preso pela PF disse que teve acesso a mensagens de Moro ‘por meio de amigo’
‘Patrocinadores’ podem estar por trás de hackers de Moro

De acordo com as autoridades, aproximadamente 1.000 contas telefônicas foram alvos dos criminosos. O padrão de ação dos hackers foi identificado em dez dias pelos policiais. Depois, foram localizados os IPs dos equipamentos e feito o rastreamento do grupo. Trata-se de um bando com perfil de estelionato eletrônico, especialista em fraudes bancárias, inclusive envolvendo cartões de débito e crédito.

Em seguida, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão, além das quatro prisões temporárias em três cidades paulistas — São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto. Num dos endereços, foram encontrados R$ 100 mil.