Hoje em dia é muito difícil ser patrão no Brasil, afirma Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2018 19h29
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoBolsonaro falou com a imprensa após se reunir com bancadas do PRB e do MDB

“Hoje em dia continua sendo muito difícil ser patrão no Brasil”, afirmou nesta terça-feira (4) o presidente eleito Jair Bolsonaro, que se reuniu com parlamentares do MDB e do PRB à tarde, em Brasília. Ele defendeu um aprofundamento da reforma trabalhista, com medidas mais favoráveis a empregadores e que estimulem contratações.

“Na última reforma trabalhista, que votei favorável, já tivemos reflexo positivo, número de ações trabalhistas caiu pela metade”, disse Bolsonaro. No ano passado, o Congresso aprovou projeto do presidente Michel Temer que mudava leis trabalhistas. Entre as novas regras, acordos entre patrão e empregado passaram a ter “força de lei”.

“Estamos estudando [novas mudanças]. Não basta ter direitos e não ter empregos, esse é o grande problema que existe”, completou em entrevista coletiva após sair de reunião no Centro Cultural Banco do Brasil, sede dos trabalhos da equipe de transição.

Guerra

Bolsonaro tem estimulado empregadores a “entrar na guerra” pela mudança na legislação trabalhista. “Tenho dito que vão ter que entrar nessa guerra, não dá para deixar só com o governo. Alguns dizem que podemos nos aproximar da legislação de outros países como os Estados Unidos, mas acho que seria aprofundar demais.”

Segundo ele, representantes do setor produtivo reclamam que “com a legislação está complicado” empregar. “Eles têm dito que o Brasil é o país dos direitos, mas não tem emprego. Isso tem que ser equacionado. Eles têm dito, não sou eu, o trabalhador vai ter que decidir, um pouquinho menos de direitos e emprego ou todos os direitos e desemprego.”

*Com informações do Estadão Conteúdo