Homem ligado ao PCC é executado com mais de 70 tiros em SP

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2018 07h20 - Atualizado em 24/07/2018 11h15
Reprodução/Tv Globo No total, foram mais de 70 tiros disparados. Roberto chegou a ser socorrido no Pronto-Socorro do Tatuapé, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A ocorrência foi registrada no 31º DP (Vila Carrão).

Um homem foi morto com tiros de fuzil na noite desta segunda-feira, 23, no bairro do Tatuapé, localizado ma zona leste de São Paulo.

A vítima era um foragido da justiça e, segundo a polícia, com ligações ao PCC. Cláudio Roberto Ferreira, conhecido como “Galo” estava dentro de um Audi blindado estacionado na rua Coelho Lisboa.  Dois veículos pararam próximo ao carro, os ocupantes desceram portando fuzis e alvejaram o veículo que, mesmo reforçado, não resistiu às balas de grosso calibre.

No total, foram mais de 70 tiros disparados. Roberto chegou a ser socorrido no Pronto-Socorro do Tatuapé, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A ocorrência foi registrada no 31º DP (Vila Carrão).

Cláudio Roberto havia sido condenado a 65 anos de prisão por participação num assalto na região de Guarulhos, na ocasião 11 pessoas ficaram feridas e três morreram. Ele estava solto desde 2006, quando o ministro Luiz Lewandowski concedeu um Habeas Corpus. A decisão chegou a ser revogada, mas Roberto não se apresentou às autoridades.

Histórico de execuções

Vale lembrar que essa já é a quarta execução relacionada ao PCC em 2018. Duas lideranças foram mortas no Ceará em fevereiro, conhecidos por Gegê do Mangue e Paca. Depois outro criminoso foi executado nas proximidades de um hotel em São Paulo.

A polícia não descarta que a morte ocorrida nessa segunda tenha ligação com esses fatos e sejam outros acertos de contas relacionado à principal facção criminosa que age em São Paulo.