Horas após anúncio de plano de vacinação em SP, Anvisa diz que não recebeu dados da fase 3 da CoronaVac

Segundo nota da agência, essas informações são ‘essenciais’ para a avaliação de pedidos de autorização para uso emergencial e registro do imunizante

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2020 20h26 - Atualizado em 07/12/2020 20h46
Instituto Butantan/DivulgaçãoImunizantes serão distribuídos nesta segunda-feira, 18

Poucas horas após João Doria anunciar um plano para vacinar a população de São Paulo contra o novo coronavírus que seria iniciado no dia 25 de janeiro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nota nesta segunda-feira, 7, listando uma série de passos restantes até a liberação do imunizante no país. Em quatro pontos diferentes, a agência regulatória lembrou que ainda analisa uma série de dados e que o trâmite de documentos oficiais levam tempo. “É importante destacar que para a solicitação de Autorização de Uso Emergencial é esperado que sejam apresentados minimamente os dados descritos do Guia sobre os requisitos mínimos para submissão de solicitação de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, de vacinas Covid-19”, diz trecho da nota.

Segundo a Anvisa, o segundo conjunto de dados sobre a eficácia da vacina ainda é analisado pelo órgão. Eles também pontuaram que os dados da fase III do estudo realizado com a Coronavac, que confirmam a segurança da vacina, ainda não foram encaminhados e que a equipe que realizou inspeção na fábrica da Sinovac na China ainda elabora documento sobre a ida, que será enviado ao Butantan até a próxima quarta-feira, 9, e respondido em até cinco dias úteis. Após esse prazo de resposta, a Anvisa estima que elaborará um relatório de inspeção em até 10 dias úteis. “Somando-se os dias apresentados, conclui-se que o Relatório de Inspeção deverá ser finalizado entre 30 de dezembro a 11 de Janeiro de 2021”, esclareceu. A agência lembrou que esse relatório pode deferir ou indeferir a certificação da vacina.

O governador de São Paulo e o Instituto Butantan ainda não se posicionaram sobre a nota. Pouco após a divulgação da informação da Anvisa, porém, João Doria lembrou que São Paulo pretende fornecer a vacina para que trabalhadores da saúde de outros estados no começo de 2021. “São Paulo vai disponibilizar a vacina para imunizar profissionais de saúde de outros Estados brasileiros. Trabalhadores que estão na linha de frente do combate à COVID-19 e precisam de proteção. A Coronavac é a vacina do Brasil”, disse. Segundo a estimativa do governo estadual, os paulistas da fase de risco poderiam tomar a vacina a partir do dia 25 de janeiro, data de aniversário da capital.