Instabilidade do Planalto pode dificultar votações importantes no Congresso

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2018 08h10
Marcelo Camargo/Agência BrasilPresidente Michel Temer está com imagem desgastada e terá dificuldades para tocar a agenda econômica

O governo continua nas cordas com o inquérito que investiga o Decreto dos Portos cada vez mais no encalço do presidente Michel Temer. A instabilidade no Palácio do Planalto reverbera também no Congresso.

Afinal, o governo precisa dos parlamentares para fazer a pauta econômica desse ano avançar, e com a imagem ainda mais desgastada, fica mais difícil convencer os deputados e senadores a aprovarem os projetos de interesse do Planalto.

A imagem desgastada de Temer é mais um obstáculo para tocar a agenda econômica. Ela se junta à postura da oposição, que vem atuando para atrasar e dificultar as votações em plenário.

O líder do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), aposta que o governo não vai ter forças para aprovar matérias importantes. “O governo Temer está meio moribundo e não tem mais força política para passar nenhuma proposta importante. Ele perdeu a base parlamentar que garantiu que não sofresse um processo de impeachment na Câmara”, disse Valente.

Para manter alguma base aliada e aprovar ao menos projetos que requerem maioria simples, o presidente Temer vai precisar mais uma vez da chamada tropa de choque, que são aqueles deputados que defendem o Planalto aconteça o que acontecer.

O deputado Darcício Perondi, do MDB, ainda crê que as votações importantes vão acontecer. “É um discurso firme, decidido, sincero e esses processos foram arquivados duas vezes. A Polícia Federal, novamente vaza denúncias que foram arquivadas e estão sendo esquentadas”, declarou Perondi.

Nas últimas semanas, não se votou quase nenhuma matéria tida como prioritária, como o novo cadastro positivo de consumidores e a reoneração das folhas de pagamento.

*Com informações do repórter Levy Guimarães