Internautas fazem mobilização nas redes sociais pela aprovação da MP do pente-fino no INSS

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2019 11h46
Marcos Oliveira/Agência SenadoVotação da MP foi adiada para esta segunda-feira (3), último dia de vigência do texto

A hashtag #SenadoAprovaMP871 entrou para os trending topics, os tópicos mais comentados do Twitter, no final da manhã deste domingo (2). Ela tem sido compartilhada por internautas como parte de uma mobilização a favor da aprovação da medida provisória que promove um pente-fino em benefícios assistenciais e previdenciários do INSS.

Durante a última semana, a votação da MP foi adiada para esta segunda-feira (3). Esse é o último dia de vigência do texto; ele precisa, portanto, ser votado na própria segunda para não perder a validade.

“Em pleno domingão, vemos em primeiro lugar nos trending topics do Twitter a manifestação por uma reforma que combate fraudes no INSS. O Brasil está mudando”, disse um dos internautas.

“Vamos lá pessoal, o Senado precisará de presença de 41 senadores para a votação, caso contrário a medida provisória irá por água abaixo. Reserve o domingo para pressionar os senadores, pois o prazo para votar a MP encerra amanhã”, disse outro.

“Atenção Senado Federal, estamos atentos a cada respiração dos senhores, a sociedade quer ver aprovada amanhã a MP 871, não vamos admitir falta de quórum e votos contra. O recado foi dado nas ruas”, completou mais um.

Impacto pode ser de R$ 100 bilhões

Em entrevista ao programa 3 em 1 da Jovem Pan na quinta-feira (30)o relator da MP, deputado Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), disse que a ideia do governo é economizar até 100 bilhões de reais, em dez anos, com a aprovação.

“O impacto estimado é de pelo menos 100 bilhões em dez anos. Seriam 10 bilhões por ano. Não se sabe ao certo o quanto de fraudes existem nesse acesso via sindicato. Pode ser que não exista nenhuma fraude, pode ser que existam muitas. O impacto pode até ser maior do que isso”, afirmou.

Segundo o parlamentar, a medida propõe criar uma força-tarefa e pagar por produtividade aos técnicos e peritos que farão a análise nos processos que contêm indícios de fraude.

“O ouvinte vai acabar pagando menos, ele não vai ver seu beneficio sendo acessado por quem não tem direito, que são essas quadrilhas que vivem de fraudar o INSS. A medida estabelece uma espécie de uma força-tarefa de revisão de processos com indícios de irregularidades. Nós estamos falando de um estoque de 4 milhões de processos que estão carentes de análise do INSS […] Foi criado esse programa que vai estabelecer um pagamento por produtividade para técnicos e peritos. O trabalho que eles fizerem além da carga normal de análise de processo, eles vão receber por isso. O governo estima que em cerca de 2 anos o estoque vai tá zerado”, concluiu.