Janot abre investigação e acordo de delação da J&F pode ser cancelado

  • Por Jovem Pan
  • 04/09/2017 19h13 - Atualizado em 04/09/2017 19h31
De acordo com Janot, em pronunciamento feito na sede da Procuradoria Geral da República, os benefícios adquiridos pelos irmãos no acordo podem ser anulados

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que investigadores tiveram acesso na última quinta-feira (31) a áudios com conteúdo “gravíssimo”, e determinou a abertura de uma investigação para apurar possíveis omissões de informações nas delações premiadas dos executivos da J&F, Joesley e Wesley Batista.

“Áudios gravados com conteúdo grave foram obtidos pelo MPF (Ministério Público Federal) na semana passada, precisamente quinta-feira, às 19h. A análise de tal gravação revelou diálogo entre dois colaboradores com referências indevidas à PGR e ao STF”, disse o procurador-geral.

De acordo com Janot, em pronunciamento feito na sede da Procuradoria Geral da República, os benefícios adquiridos pelos irmãos no acordo podem ser anulados se ficar provado qualquer ato ilegal. Ambos estão em liberdade atualmente.

A delação de Joesley e Wesley foram de fundamental importância para a abertura do inquérito contra o presidente Michel Temer por suspeita de corrupção passiva e obstrução de Justiça.

O procurador-geral disse ainda que, mesmo com o cancelamento do acordo, nenhuma prova obtida até agora será invalidada, e que, apesar de poder ser o maior acordo de delação premiada rescindido pela PGR, a decisão não irá desqualificar o instituto.

“Será mostra de que não se pode ludibriar o Ministério Público e o poder Judiciário”, afirmou.