João de Deus e esposa são indiciados por posse ilegal de armas

  • Por Jovem Pan
  • 10/01/2019 11h21 - Atualizado em 10/01/2019 11h52
Marcelo Camargo/Agência BrasilA delegada Karla Fernandes também anunciou o fim da força-tarefa criada para investigar denúncias contra o médium

O médium João de Deus e sua mulher, Ana Keyla Teixeira, foram indiciados pela Polícia Civil por posse ilegal de armas. Em coletiva concedida na manhã desta quinta-feira (10), a delegada Karla Fernandes também anunciou o fim da força-tarefa criada para investigar denúncias contra o médium.

“A força-tarefa da Polícia Civil encerrou todos os seus procedimentos porque já foram indicados em dois [casos] por posse ilegal de arma tanto o João de Deus, como a esposa dele, Ana Keyla, uma vez que ambos moram nas mesmas residências, tanto de Abadiânia, como Anápolis. Nas duas cidades houve apreensão de armas de fogo”, disse a delegada.

Um dos advogados do médium, Alex Neder, afirma que as armas, assim como relatou João de Deus à Polícia, eram de pessoas que queriam tentar se matar ou “garantia” de empréstimos.

De acordo com a delegada, João de Deus foi indiciado ainda por violação sexual mediante fraude – o crime ocorreu há três anos e a vítima mora em São Paulo.

“Em relação aos abusos nós também estamos encaminhando [inquérito] hoje sendo indicado por fato ocorrido em 2016 em que a vítima representou na data correta e reside em São Paulo. Esse inquérito já tinha sido instaurado em agosto do ano passado e está sendo também enviado com indiciamento”, explicou a delegada de Goiânia.

João de Deus foi interrogado pela delegada nesta quarta-feira (09), na cadeia, pelo crime de posse ilegal de arma de fogo. Esta foi a segunda vez que ele foi ouvido.

Também nesta quarta-feira a juíza Rosângela Rodrigues dos Santos aceitou denúncia contra o médium em um processo que envolve quatro vítimas nos crimes de violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável. Com a decisão, ele tornou-se réu.