João de Deus teria retirado R$ 35 milhões de contas bancárias após primeiras denúncias

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2018 18h58
Paulo Giovanni/Estadão Conteúdo Dinheiro estaria em aplicações em instituições bancárias

O jornal O Globo divulgou, na tarde deste sábado (15), que os investigadores do caso João de Deus identificaram movimentações de cerca de R$ 35 milhões em contas em nome do médium. O fato fez com que a Polícia Civil de Goiás e o Ministério Público do estado acelerassem o pedido de prisão.

Ainda segundo a publicação, o dinheiro foi retirado de aplicações que João possui em instituições bancárias.

O líder religioso já é considerado foragido da justiça. Acusado de abuso sexual por mais de 300 mulheres, ele não se apresentou espontaneamente no prazo de 24 horas após a ordem decretada na sexta (14). Seu paradeiro é desconhecido.

“A força-tarefa informa que o senhor João Teixeira de Faria passou a ser considerado foragido, pois as diligências de localização em todos os seus endereços resultaram negativas e o comparecimento espontâneo não ocorreu nas 24 horas seguintes à ordem de prisão, a despeito das tentativas de negociação com a defesa”, apontou o MP em nota.

Defesa

Em um vídeo exibido durante a tarde na Globonews, o advogado Alberto Zacharias Toron reafirmou que o médium vai se entregar à Justiça. Ele não revelou, no entanto, o dia e a hora em que isso vai acontecer.

“A primeira coisa a ser dita é que o senhor João de Deus se apresentará às autoridades em respeito à decisão do juiz, mas não posso revelar, em respeito a essas mesmas autoridades, o dia e a hora que isso ocorrerá”, disse.

Em seguida, Toron alegou que a defesa “não concorda” com a decisão “ilegal” e que vai impetrar, na próxima segunda-feira (17), um habeas corpus questionando sua legalidade. “Os fatos são antigos e não aconteceu nada de novo que justificasse a prisão”, afirmou.