Joaquim Barbosa prevê STF de cara nova em quatro anos

  • Por Jovem Pan
  • 30/05/2014 08h13

O magistrado que colocou vários políticos na cadeia na ação penal 470 decide deixar o Supremo Tribunal Federal. Joaquim Barbosa vai se aposentar depois de 41 anos de serviço público, 11 deles como ministro da Suprema Corte.

Ele comunicou sua decisão aos chefes dos Poderes Executivo e Legislativo, a quem defendeu mandatos de 12 anos no STF. Em entrevista coletiva, Joaquim Barbosa pediu esquecimento para as roubalheiras do Mensalão e prevê o Supremo de cara nova em quatro anos.

*Ouça os detalhes no áudio

Na sessão de ontem do Supremo Tribunal Federal, o Mensalão não foi esquecido na homenagem prestada a Joaquim Barbosa. O ministro Marco Aurélio Mello destacou o sopro de esperança que o colega renunciante trouxe ao país quando mandou políticos para a cadeia.

O Procurador Geral da República lamentou a decisão do Ministro Joaquim Barbosa, que também é promotor federal. Rodrigo Janot elogiou o colega de carreira e protestou pelo que considera aposentadoria precoce.

Um dos rumores mais insistentes nos últimos meses é sobre a possibilidade de Joaquim Barbosa candidatar-se a cargo político. Mas, especialista em legislação eleitoral, o advogado Alberto Rollo lembrou que o ministro do STF perdeu o prazo para ingresso na batalha eleitoral.

Barbosa disse que seu projeto para a primeira quinzena da aposentadoria é assistir aos jogos da Copa do Mundo em Brasília. Ele completa 60 anos no próximo dia 7 de outubro e até lá pretende descansar tudo o que tem direito e viajar sempre que possível.